Talvez uma das coisas que mais levante dúvidas em quem acompanha o cenário competitivo de e-Sports (principalmente de Dota 2) seja o “futuro” de jogadores aposentados. Como se sabe, essa não é uma das profissões que lhe renderá aposentadoria garantida pelo Governo e muito menos remunerada, então, o que acontece com ProPlayers que encerraram atividade? Um dos caminhos, e o que trataremos hoje em específico é: coaching.

Podemos definir o coaching como um processo de aprendizagem e reflexão onde o coachee (cliente) é auxiliado pelo coach a alcançar certos objetivos estabelecidos anteriormente. O coach age como uma espécie de ‘motivador’ para o coachee; ele deve garantir que sejam traçadas metas de crescimento e guiar o último a melhorar suas habilidades (no caso como player de Dota 2), organizar o foco e por último; maior controle emocional (extremamente importante).

Trazendo essa definição para ambiente de Dota 2, o coach será responsável por identificar pontos falhos baseados na sua role, e potencializar as habilidades requeridas de acordo com a função que esse player desempenhar na sua equipe, afinal, e este é sem duvidas o ponto chave do coach; saber o que melhorar e como melhorar.

Alguns players acabam se esforçando em pontos que não seriam tão úteis em sua role, e esquecem necessidades básicas. Por exemplo, podemos citar support’s que se desgastam treinando deny’s (sim, deny’s é mais obrigação do carry do que do support), sendo que poderiam estar utilizando deste tempo para treinos voltando ao roaming ou warding/dewarding.

Aliás, a Valve inclusive apoia essa experiência de coaching, e podemos notar isso pela função que a mesma adicionou em um update relativamente já antigo, onde habilitou a opção de ‘instruir este grupo’ na criação de party’s, e também a opção de termos um instrutor.


Vou deixar meu relato sobre a experiência que tive ao receber coaching:

Bom, primeiramente tenha consciência que o coach irá lhe ajudar muito, mas milagre, ainda não vi nenhum fazer. Tente reconhecer o mesmo como um professor; ele irá lhe ensinar e dar dicas, passar conhecimento basicamente, mas também lhe dará tarefas e ‘dever de casa’ para treinar os pontos fracos. Em certos casos pode e vai ser extremamente cansativo, como quando estava treinando midlaner e tive que escolher 3 heróis e jogar 10 games com cada um deles, anotando diversas informações como primeiro item fechado, minuto do game em que fechou, quando saiu para realizar gank e o motivo de ter ido gankar e etc. Quando se faz isso incessantemente, você nota que Dota pode ser muito cansativo.

Com o passar do tempo, você acaba realizando algumas ações sem perceber, como quando começa a julgar se a lane precisa de um pull ou Double pull sem notar que está ‘calculando’ isto. Ações como stacks e rotações farão parte da mente de qualquer support. Eu mesmo comecei a ter certas noções de game que jamais pensei em ter.

Pode parecer forçado mas 99% dos jogos de Dota 2 é questão de julgamento. Decisões. Decidir quando realizar tal ação, quando comprar uma TeamFight, quando jogar defensivamente, quando agressivar; tudo, simplesmente tudo é sobre decisões.  Seu coach deverá não tomar as decisões por você, mas sim  fazer com que você compreenda o jogo e seja capaz de tomar suas próprias decisões, sendo isso o que sempre busquei.

Ainda estou recebendo coach, e continuarei por um tempo, graças a melhora que tenho notado em mim mesmo, e caso optem por fazer, também notarão. Mesmo que seja ‘chato’ em certos momentos, com certeza é uma alternativa a quem se sente estagnado no Dota e ainda acredita que pode oferecer muito mais.

Na semana que vem, realizaremos uma entrevista com ‘PEW PEW PEW‘, meu coach, Manager e CEO da Impetus e-Sports. Gostaríamos de saber se vocês possuem alguma pergunta ou questionamento que gostariam que fosse levantado, e caso sim, aproveitem os comentários logo abaixo para deixar sua pergunta.

Obrigado

goodluck and have fun

melody.0912

About The Author

melody.0912

Administrador de Servidores e jogador de Dota 2 meia boca. Apaixonado por wombo combos, traduzir guias, Alasca Young e pão com ovo.

Related Posts

8 Responses

  1. Avatar
    Ricardo Fochesatto

    Muito bacana o sistema de coach porem eu vejo muito a galera utilizar de uma forma incorreta, geralmente o coach está servindo para ver a partida em tempo real e ajudar a facilitar as partidas e não ajudar quem está sendo instruída.

    Responder
    • melody.0912
      melody.0912

      Sim Ricardo, o sistema de coaching não permite visualização do time adversário ou do mapa sem fog, mas ainda sim, pode facilitar as coisas. O coach de verdade, deve estar 100% focado na equipe que está recebendo o treinamento, afinal, a melhora deve ser deles, e não do adversário.

      Responder
  2. Avatar
    Everton Alfafa

    Muitas vezes esquecido ou usado como ”ward” o coach na verdade é o cara que pode estar por trás de todo o cérebro de um time ou player e normalmente é o cara que mais tem noção da teoria do jogo,quem dirá o mestre PEWPEWPEW \o.Ótimo artigo melody.

    Responder
  3. Avatar
    Security player

    Vi varios video do pewpewpew e gostei muito, gostaria de saber como ele começou e qual incentivo ele tem? se tiver valeu!

    Responder
  4. Avatar
    Guilherme Prudêncio

    Poxa, gosto de ver conteúdo aplicado na parte de estratégia do jogo. Sou coach de um time amador e gostaria muito de perguntar como ser eficiente na posição sei que precisamos de criatividade e ser o analista muitas vezes, mas como passar isso pro capitão e dar segurança tanto na hora do draft quanto in game.
    Agradeço muito e curto muito o site de vocês!

    Responder

Leave a Reply

Your email address will not be published.